China derruba limite constitucional para mandatos de presidente

Medida reforça poder do líder socialista Xi Jinping, que está apenas no 1º no mandato

 

O Congresso da China aprovou hoje (11) uma emenda à Constituição que acaba com o limite de mandatos presidenciais. Isso significa que atual presidente do país, Xi Jinping, pode continuar no cargo apesar da limitação máxima dois mandatos de cinco anos imposta pela Constituição até este domingo (11). Ele está apenas no final do primeiro mandato.

A última vez que a atual Constituição chinesa foi modificada por emendas foi em 2004, mas está em vigor desde 1982. A mudança representa uma consolidação do líder socialista Xi Jinping, que é o primeiro desde Mao Tsé-Tung que poderá permanecer no comando da China por mais de 12 anos. Desde 1976 os mandatos dos líderes chineses eram de 6 anos, até a Constituição de 1982, sob o comando de Deng Xiaoping, que limitou mandatos a 5 anos para evitar o acúmulo de poder da era Mao.

A medida, na verdade, aprovou numa só votação 21 emendas constitucionais, entre elas a política de reforço ao socialismo chinês e, na prática, a reeleição eterna do presidente. Foram 2.958 votos a favor das emendas, dois contra e três abstenções

 

 

quinta-feira, 4 Abril, 2019